Buscar
  • Ive Nenflidio

Inezita e o assalto


Produzi um dos últimos shows da dupla caipira Pena Branca e Xavantinho; era um pequeno festival que reunia no mesmo palco, além do duo, a cantora Inezita Barroso e o compositor Renato Teixeira.

Foram três dias com ingressos esgotados, salas lotadas de pessoas idosas, coisa bonita de se ver. Lembro-me de pessoas cantando emocionadas, eram clamores, lamentações, quase uma prece.

Xavantinho, já muito debilitado, tinha dificuldades para conversar, mas quando cantava soltava a voz de forma espetaculosa. Era realmente impressionante vê-lo cantar, ele levantava a cabeça e, com os olhos fechados em direção aos céus, se apresentava único. Numa rara e bela cena, interpretava clássicos da cultura popular.

Naquele dia, Inezita foi assaltada no caminho de casa. O motorista, um amigo, contou mais tarde que ela se manteve serena enquanto ele tremia como vara verde. Em pânico, meu amigo procurava tranquilizar os criminosos, pedia calma! Julgo que os bandidos reconheceram a grande artista sentada no banco da frente, seguiram.

Inezita, numa demonstração de equilíbrio que só as grandes divas possuem, simplesmente disse "agora só falta atropelar o Pita".


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Morte